Consumir pimenta aumenta a expectativa de vida

  • 8 meses ago
  • 129 Views
  • 2 0

Se você gosta de picante poderá se gabar de sua alta tolerância à dor por muito mais tempo. Os resultados de um novo projeto de pesquisa sugerem que as pessoas que gostam de comer pimenta poderiam viver mais.

Os cientistas avaliaram 4.729 estudos em vagens de pimenta e descobriram que o consumo de pimenta pode ter efeitos positivos na saúde. Pesquisas anteriores mostraram que a pimenta malagueta tem efeitos antiinflamatórios e antioxidantes.

A razão para isso é a capsaicina contida nas vagens de pimenta, que dá à fruta seu sabor picante – você leu corretamente, pimenta do reino é fruta . No entanto, ainda não houve um estudo que analise os efeitos da pimenta na mortalidade relacionada à doença nesta extensão.

Os pesquisadores compararam a dieta e a saúde de cerca de 570.000 pessoas da China, Irã, Itália e Estados Unidos, algumas das quais comem chili (pimenta) regularmente e outras raramente ou não comem. O resultado: uma redução do risco relativo na mortalidade de 23 por cento para câncer, de 26 por cento para doenças cardíacas e de 25 por cento para todas as causas de outras doenças.

Coma pimenta, viva mais? pesquisadores alertam contra igualar essas duas coisas.

Esta descoberta foi “surpreendente” para os cientistas, disse Bo Xu de acordo com o “Independent”. O cardiologista conduziu o estudo e trabalha no Heart and Chest Institute da Cleveland Clinic, em Ohio. “Isso mostra que a dieta pode desempenhar um papel importante na saúde geral.” Ao mesmo tempo, Xu adverte contra a aceitação dos resultados do projeto de pesquisa como uma indicação clara do efeito de prolongamento da vida por essas malaguetas. “As razões exatas e os mecanismos por trás disso são atualmente desconhecidos … Portanto, é impossível dizer inequivocamente se o consumo de pimenta realmente reduz a mortalidade.”

Além disso, os vários estudos que a equipe de Xu comparou testaram diferentes tipos de pimenta e diferentes quantidades de consumo de pimenta. Portanto, não está exatamente claro quanto e quais tipos de frutas são benéficos para a saúde. Portanto, mais pesquisas são necessárias para confirmar os resultados preliminares. No entanto, a equipe de Xu apresentará suas pesquisas nas próximas convenções científicas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *